O Poder do Feedback – “Quem não comunica se trumbica”

Minha vó já dizia, “quem não se comunica se trumbica”. Um dos maiores geradores de problemas dentro das organizações é a falta de comunicação. (E não só nas organizações como também na vida pessoal).

Algumas comunicações não ocorrem por falha de gestão, outras por medo e falta de segurança do líder. Atualmente vivemos na era da informação e na realidade na maioria das vezes não conseguimos no comunicar e expressar o que realmente esperamos das pessoas e o que elas devem fazer para que os objetivos sejam atingidos. Importante contra ponto!

Depois que a tecnologia inventou telefone, telégrafo, televisão, internet, todos os meios de comunicação de longa distância, é que se descobriu que o problema da comunicação era o de perto” (Millô Fernandes)

Por falta de técnica, conhecimento, boçalidade, senso de superioridade ou por não julgar importante, muitos gestores acabam por não executar o feedback constante. Acabam por efetuá-lo apenas quando o departamento de RH solicita no momento da avaliação de desempenho. (Nem sabem eles que a todo momento estamos dando feedbacks, através de nossas atitudes, ações, gestos e expressões, tenha cuidado!).

É aí que ocorre a grande falha que leva ao descrédito uma ferramenta tão importante e que pode gerar enormes resultados evitando muitos problemas se for executada da maneira correta.

O que não dá pra entender é a grande reclamação de gestores de que “as pessoas não entendem o que se deve fazer”, “elas nunca sabem o que fazer”, “não dá pra contar com elas”, “é melhor fazer você mesmo do que esperar que o outro faça”…

Se formos analisar de perto muitas destas situações seriam resolvidas com diálogo e o bom e assertivo feedback. Na maioria das vezes as orientações não ocorrem, e se espera que as pessoas entendam se estão indo bem ou mal. Mas como assim??

O que deve ser desmistificado é que o Feedback não deve ser algo tão temeroso e programado uma vez ao ano. Lógico que existem técnicas e métricas padronizadas em algumas organizações para executar um feedback efetivo.

Vale ressaltar que o feedback não serve para lavar a roupa suja ou se prevalecer de acontecimentos para penalizar as pessoas ou constrangê-las.

Ele é sim, um procedimento orientativo que deve ser executado com princípios, dentre eles o RESPEITO.

Quando ele é executado no dia a dia em forma de orientação, agradecimento, acompanhamento e como método de alavancagem de potencial, ele acaba se tornando mais comum e com resultados extraordinários.

Uma das maiores necessidades das pessoas é ser ouvida e a maioria de nós também tem interesse de saber como estamos no saindo.

Porém, seja no trabalho, na família ou no círculo de amigos, tendemos a não dar a atenção devida ao que os outros tentam nos comunicar, por não sabermos ouvir. Essa falha de comunicação gera vários problemas.

As pessoas de sucesso, tem o dom de saber ouvir. Quando se sabe ouvir se reduz as falhas de comunicação e se tem uma compreensão muito maior das necessidades ou sugestões alheias.

Conseguimos então compreender de maneira mais clara o ponto de vista do outro.

Aprenda a desacelerar, a estar presente no momento da comunicação, não como competidor de narrativa, mas primeiramente como ouvinte verdadeiro. Se você conseguir melhorar esta habilidade verá como seus resultados em todos os ambientes que estiver inserido terão uma mudança extraordinária.

Colaboradores estarão dispostos a compartilhar com você sugestões, lideres dividirão mais informações, amigos abrirão o coração, familiares se sentirão mais amados.

Aprenda a estar presente de alma e coração para ouvir sem julgar, ouvir com atenção lhe ajudará a formular posteriormente a melhor resposta ou orientação, baseando a mesma em informações que você conseguiu entender devido a ATENÇÃO que realmente deu ao que o outro estava falando.

Líderes que entendem esta demanda utilizam de sua habilidade de comunicação para potencializar o seu ouvir mais do que o falar. Pois ao ouvir, respeitar e compreender seus liderados estabelece um vínculo de confiança.

Lembre-se pessoas compreendidas sentem-se motivadas para entender melhor o seu ponto de vista. Isso chama-se reciprocidade! Neste momento você tem o caminho aberto para efetuar um feedback mais assertivo e que levará a outra pessoa a um outro nível, conseguindo resolver e corrigir possíveis problemas ou potencializar situações de sucesso que já estejam ocorrendo.

O aprender com os erros não é fácil, precisa ter maturidade. Muitos escondem seus erros e tentam apagar da memória o quanto antes estes acontecimentos ruins.

As pessoas de sucesso aprendem com os erros, analisam os acontecimentos, verificam o que deu errado. Buscam nos erros um incentivo para continuar melhorando. Por quantas vezes os erros mostraram que estávamos fora do caminho ou através deles novas oportunidades surgiram? Quantos destes erros não fomos capazes de ver e só acabamos nos dando conta quando recebemos um feedback de alguém que queria nos ajudar a melhorar?

Seja sábio, aprenda também a receber feedback, filtrar o que agrega, trabalhar no que precisa melhorar e potencializar seus resultados. Não fique remoendo e tentando se justificar.

Faça do elogio um habito. Acostume-se a elogiar as atitudes positivas de seus colaboradores. Um trabalho bem feito, um esforço em relação à conclusão de uma tarefa, um auxílio que tenha sido executado para atingimento de uma meta. (Olhe só, sem saber já está dando um feedback positivo).

Qualquer pequena atitude positiva deve ser valorizada. Não pense que as pessoas estão sendo pagas pelo trabalho e não fazem mais do que a obrigação, elimine este tipo de pensamento. Líderes de sucesso sabem que palavras de elogio e agradecimento impulsionam os resultados. Mas seja VERDADEIRO, não cometa a besteira de elogiar por elogiar, tenha atitude verdadeira em suas palavras e ações.

Pense nisso!

Forte abraço e fique com Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paulo Roberto